Como fazer dinheiro na música com merchandising

Com colaboração de Isis Correia e Bruno Teixeira

Vamos falar de coisa boa - merchandising como estratégia na música (Imagem: Please Come to Brazil).
Vamos falar de coisa boa – merchandising como estratégia na música (Imagem: Please Come to Brazil).

Toda banda ou artista solo visa a autossuficiência financeira como uma das metas da carreira. Ensaios, gravações, transporte, tudo o que envolve a vida de um músico possui custos e muitas vezes eles não são baixos e, até que a independência financeira se consolide e seja sustentada por um público forte e engajado em seus shows, viver dos cachês é um percurso que precisa ser trilhado passando por algumas estações. 

Mas não desanime! Na era do mundo e da música digital, os artistas precisam encarar o merch como um negócio em ascensão e a gente te ajuda a pensar alternativas para bancar os investimentos em sua canção com dicas que mostram como o merchandising pode se tornar estratégico para o músico fazer dinheiro.


PLATAFORMAS DE STREAMING SÃO MAIS DO QUE PLAYERS, ELAS SÃO FERRAMENTAS DE DIVULGAÇÃO

Redesenhe o papel do streaming como ferramenta de divulgação do seu trabalho (Foto: Kaboompics.com do Pexels)

Apesar das receitas com streaming terem crescido 32,9% no mundo em 2018, isso não significou que os artistas viram a cor do valor arrecadado na mesma proporção, sobretudo aqueles que têm carreiras independentes. 

Em nossa jornada no music business, nos deparamos com muitos músicos que gostariam de viralizar nessas plataformas para obter uma renda por meio do pagamento dos direitos autorais. No entanto, na prática, mesmo que você alcance taxas expressivas de streams por mês, pensar nessas plataformas como fonte de renda é manter uma visão inocente. Indício disso são os artistas consagrados que estão deixando o Spotify por considerarem que a remuneração que a empresa reverte ao músico é incoerente frente aos ganhos da plataforma.

Então devemos sair em debandada das plataformas de música? Claro que não! O que você deve fazer é ressignificar o papel do streaming como ferramenta de divulgação do seu trabalho. Não pense no streaming como fonte de renda, pense no streaming como um disseminador da sua música que o ajudará a criar uma base de fãs, fechar mais shows, realizar crowdfunding e vender merchandising. 


O QUE DIZ O MERCADO GLOBAL

Segundo levantamento mais recente da IFPI (Federação Internacional da Indústria da Música), os artistas independentes mais lucrativos em 2018 tiveram o merch como a segunda ou a principal fonte de receita sem contar os ganhos colaterais de divulgação da marca. Portanto, a venda de produtos relacionados a música, como camisetas, pôsteres e congêneres que já foi irrisória na arrecadação de um artista, tornou-se um mercado em ascensão.

Artistas do mainstream já identificaram essa oportunidade de lucrar enquanto divulgam-se  e estão investindo bastante em merch. Em entrevista à revista Rolling Stone, o rapper Drake disse que suas lojas online rendem números de seis dígitos. 


COMO PENSAR O MERCHANDISING DE FORMA ESTRATÉGICA?

O rapper Drake disse que suas lojas online rendem números de seis dígitos (Imagem: Divulgação)

Ter um fluxo de produtos é essencial para que você consiga formar caixa, pois ainda que estejamos em uma época guiada pelo digital, fazemos parte de uma sociedade de consumo e por isso a venda de produtos é uma consequência natural.  

Esteja atento a algumas questões antes de investir o primeiro capital em merchandising, para que ele não seja feito em vão. Acompanhe: 

– Conheça seu público

Não invista em sandálias se seu público gosta de tênis! (Imagem: Sumit Tayade)

Conhecer bem os seus fãs vai ajudar você a entender quais itens eles estariam dispostos a comprar e por qual valor. Esse conhecimento é fundamental para não ficar com merchandising encalhado.Não adianta nada pensar em lançar itens como tênis se o seu público curte usar sandálias. A nossa dica é que você faça enquetes, que converse sobre as preferências de corte e modelagem de camisetas, por exemplo. Saiba o que eles gostam e estão dispostos a comprar.


– Identidade visual

O mundo todo sabe o que esse logo significa (Imagem: South West News Service )

 Você tem um logotipo bacana? Uma marca que ninguém mais tem? Muitas bandas usam fontes compradas ou gratuitas na hora de criar a identidade visual o que nós da Agência 1a1 consideramos um erro já que sua marca deve funcionar como um verdadeiro RG que faça os outros te identificarem como um artista único! Para ser assimilado pelo seu público, esse seu símbolo único precisa ter vínculo com o seu som e a sua proposta de existência e, claro, precisa estar presente no seu merch. 


 – Variedade de estampas e produtos

A camiseta é um dos itens mais queridos dos fãs e até viraram moda (Imagem: Divulgação)

A camiseta já provou ser o item mais querido e, claro, o mais vendido pelos artistas. Não à toa, as estampas de bandas de rock viraram febre no mundo da moda e por isso até a forma de distribuição dessas peças mudou: hoje é fácil encontrar camiseta do Ramones, camiseta do Metallica, camiseta do Queen numa loja de departamento, certo? 

Até mesmo gente desligada da canção se rendeu de alguma forma a esse tipo de merch. Aqui estamos falando nomes com carreiras consagradas, mas, esse movimento todo serve de inspiração sobre o que agrada ou não os consumidores desse produto.

Pensando em camiseta, a dica é bolar estampas e modelos diversificados e não parar por aí: busque oferecer outros itens também como cordões para chave, canecas, bonés, patchs e afins. Quando o artista restringe demais as opções de compra para o fã, fatalmente diminui suas possibilidades de ganho. Em compras online, o fã quer fazer valer a pena o frete e é comum que por isso acabe comprando mais de um item.

Sepultura reunido no lançamento da cachaça da banda (Imagem: Sepultura Crew/Estevam Romera)

O Sepultura por exemplo, serve de inspiração. A banda tem na linha de merch produtos como cerveja, vodca, vinho, pimenta e cachaça, item que a Agência 1a1 desenvolveu as ações de divulgação nas redes sociais do grupo

Já o Krisiun mostra a experiência no investimento de webstore própria da banda e lançou há poucos meses sua loja online para o Brasil com desenvolvimento da Agência 1a1.  

Mas, voltemos à primeira dica: conheça seu público para evitar errar em artes e produtos. Se a sua banda é nova, invista de materiais que não sejam muito caros e em quantidades menores.


– Controle de caixa

É assustador, mas muitas bandas que já vendem merchandising não sabem exatamente o quanto gastaram, venderam e lucraram com seu comércio. Para não cair na desorganização, uma dica simples é montar uma planilha de Excel que contenha informações sobre o estoque, o preço de custo, o investimento em divulgação na redes sociais (midia ads) e o preço de venda. E aí, atenção: após os primeiros investimentos em seu merch, os custos precisam ser menores do que as vendas. 


– Pré-vendas e vaquinhas

Kit da nova cerveja Curva do Claustrofobia
Kit da cerveja Curva foi uma das recompensas do crowdfunding do Claustrofobia (Imagem: Divulgação)

Abrir pré-vendas ou financiamento coletivo são ótimas estratégias para quem precisa levantar caixa para a fabricação de itens mais custosos como prensagem de CDs ou discos de vinil. Se o seu público é consumidor desse tipo de produto, conte com ele! Assim você evita prejuízos e material parado.

A Agência 1a1 desenvolveu ações de divulgação do crowdfunding que a banda Claustrofobia lançou para financiar a produção de um EP nos Estados Unidos, onde a banda está no momento. As recompensas aos apoiadores incluíram outros itens de merch da banda que compensaram o plano como a cerveja do grupo, Curva.


– Banquinhas em eventos

A banda Desalmado é exemplo quando o tema é aproveitar shows para levar o merch (Imagem: Fabiano Neves)

Já tem uma quantidade legal de produtos relacionados a sua música? Ótimo: aproveite seus shows para vender! Esse é o principal momento motivador de compra. O seu público estará empolgado com a sua apresentação e vai querer vestir a camisa e mostrar que é fã! Não perca essa oportunidade: anuncie em algum momento do evento que há material disponível para a venda e estimule o fã com a  ideia de que ao adquirir algo ele contribuirá para a manutenção da sua carreira. 


– Use as redes sociais para vender

Defina uma periodicidade para divulgar os seus produtos na web (Imagem: Tom Giger)

Mas com moderação! A mensagem principal que você deve passar é a sua música. Defina uma periodicidade para divulgar os seus produtos para que não fique maçante e o público não se sinta coagido por excesso de anúncios. Afinal, o merch é sobre a sua música, não uma marca de roupas!


– Distribua brindes

Além de ajudar a movimentar o caixa, itens menores divulgam sua existência.

Principalmente nas compras online, o fã se sente agraciado quando recebe junto de sua compra um mimo como um botton, um adesivo ou um cartão do artista. Esses itens representam para o fã o reconhecimento da importância dele em sua carreira. 

Essas são apenas algumas dicas entre tantas outras que podem ser usadas estrategicamente para alavancar as vendas do merch da sua banda. Não se esqueça que além de te ajudar a ganhar dinheiro, esses produtos ainda divulgam a existência do seu trabalho. A Agência 1a1 cuida da comunicação da banda de indie rock Rebel Jeans, e deles vem o exemplo: o trio investiu em um item pequeno, um abridor de garrafas em formato de chaveiro, cujo o público que eles atingem curte.


BOM, AGORA VAMOS FALAR DE COISA BOA?

Viver de música não é impossível, mas é preciso trilhar um caminho. A Agência 1a1 se dedica à mídia para a música e existe para te ajudar no percurso do mercado com o serviço de consultoria que esclarece a posição do merchandising em sua carreira. Vamos juntos? Escreva para contato@agencia1a1.com.br!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *