Kiko Loureiro, Megadeth e Angra: as lições do Grammy para músicos que querem investir em comunicação

Holy ou Unholy Wars? Eu sei qual canção do título me agrada mais e quem me conhece bastante sabe pra quem torço nesse jogo de dois hinos de Angra e Megadeth, agora levados à seis cordas pela mesma figura. Fiz boca de urna aqui na Agência 1a1 e cada pessoa trouxe sua opinião. O papo rolou no pós Grammy, depois de assistirmos de joelhos, emocionados, Kiko Loureiro subindo ao palco com a banda de Dave Mustaine para abraçar o título de Melhor Performance de Metal com a música Dystopia. A banda concorreu com Baroness, Gojira, Korn e Periphery.

Megadeth recebendo Grammy.
Megadeth recebendo o Grammy.

Mas o que pegou a gente pelo estômago mesmo é que, por coincidência ou não, pelos caminhos que nos guia o deus-metal ou não, a trajetória da 1a1 vive colidindo com a do Kiko.

Quando paramos há quase dois anos entre amigos para discutir como a gente faria (porque faríamos o que precisasse ser feito) para trabalhar com música profissionalmente, foi a mesma época em que Kiko abraçou o papel de educador, coach ou o nome que for, para falar de music business. Bingo!

Kiko Loureiro ao vivo com o Angra.
Kiko Loureiro ao vivo com o Angra.

O lançamento do curso Music Business e todo conteúdo de Kiko que se seguiu foi um farol que acenou positivamente pra nós da agência: “não estávamos falando e nem pensando bobeira! É isso mesmo!”.

As lições a que me refiro no título deste texto dizem respeito a influência de Kiko em nosso trabalho como social medias, assessores de imprensa, criadores de conteúdo enfim, toda a gama de produtos em comunicação que oferecemos na 1a1 e que sem dúvida refinamos ao longo de cada texto ou aula que acompanhamos do nosso tesouro nacional da guitarra.

E ficamos tão contentes de poder ajudar bandas nesse caminho que um dia pode sim terminar em um tapete vermelho-veludo com uma multidão extraordinária dizendo pra você em forma de grito e aplauso o que temos escutado como profissionais do mercado da música: “você está no caminho certo!”.

Não bastasse uma vida de fã devotada desde a adolescência, agora há todo o restante.

Ao mestre, com carinho. Sempre.

Isis e Kiko Loureiro na tarde de autógrafos do disco Rebirth do Angra.
Kiko Loureiro e eu na tarde de autógrafos do disco Rebirth do Angra ainda na era pré-selfie.

Isis Mastromano Correia é jornalista e gerente de comunicação da 1a1

One thought on “Kiko Loureiro, Megadeth e Angra: as lições do Grammy para músicos que querem investir em comunicação

  1. felipe Reply

    Gostei muito do que li aqui no seu site.Estou estudando o assunto,Mas quero agradecer por que seu texto foi muito valido. Obrigado 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *